Busca por palavras chave:
 
  quinta-feira, 22 de junho de 2017  
Home
Eleitos PT-ES - Eleições 2016
PED 2017
Vídeos PT
História
PT Estadual
Notícias
Artigos
Secretarias
Setoriais
Documentos
Galeria de Fotos
Diretórios municipais
Links importantes




 História

PT no Brasil e no Espírito Santo

A trajetória do Partido dos Trabalhadores (PT) começou com as profundas transformações sociais vividas pelo país ao final da década de 70 e início dos anos 80.

Em 1979, o governo do general João Baptista de Figueiredo iniciava o "processo de abertura lenta e gradual", marcando os últimos momentos da ditadura militar. Com o retorno dos exilados políticos ao Brasil, após a anistia, as lideranças começaram a discutir a reformulação do quadro partidário. Desde o golpe militar de 1964, o sistema havia se reduzido à bipolarização entre Arena e MDB.

Sindicalistas, intelectuais, políticos e representantes de movimentos sociais, como lideranças rurais e religiosas, antes perseguidos e torturados, começaram a assumir abertamente o desejo de formar um partido feito pelos trabalhadores e para os trabalhadores. Era preciso romper a ordem econômica, social e política de exploração.

Por todo o país, a atuação dos movimentos sociais na luta por melhorias de vida no campo e na cidade alimentava o ideal de substituição do sistema capitalista por uma alternativa socialista de desenvolvimento. Greves por aumento de salários, protestos em defesa da moradia, luta pela reforma agrária, formavam o contexto social da época.

Mas, a construção de uma nova proposta partidária não aconteceu do dia para noite, pois exigiu muita discussão e amadurecimento democrático. Um dos fatos mais expressivos aconteceu no dia 24 de janeiro de 1979 durante o IX Congresso de Trabalhadores Metalúrgicos, Mecânicos e de Material Elétrico do Estado de São Paulo. Lideranças e ativistas dos movimentos social e sindical aprovaram a proposta feita pelos metalúrgicos de Santo André conclamando “todos os trabalhadores brasileiros a se unificarem na construção de seu partido, o Partido dos Trabalhadores”.

Nesse mesmo ano, no dia 1º de maio, Dia Internacional dos Trabalhadores, foi lançada a Carta de Princípios do PT, documento em defesa da democracia participativa, organizada e consciente. Em outubro, uma reunião envolvendo 130 representantes de seis estados, apresentava oficialmente o Movimento Pró-PT.

Na ocasião, aprovou-se a Declaração Política, que propunha uma plataforma identificada com os anseios dos movimentos populares e contrária à reforma partidária imposta pelo regime. Dezessete responsáveis pela direção do Movimento Pró-PT elegeram a Comissão Nacional Provisória.

Porém, em novembro de 1979, o Congresso Nacional aprovou a nova legislação, fortalecendo a organização de partidos tradicional na história do Brasil e criando uma série de formalidades que dificultavam a legalização do PT.

Após muitas batalhas, no dia 10 de fevereiro de 1980, formou-se o PT, nascido de baixo para cima, diferente de todos os que haviam surgido no Brasil. Suas características fundamentais incluíam ser um partido classista, de massas, de lutas, democrático e socialista.

O ato aconteceu no auditório do Colégio Sion, em São Paulo, onde foi aprovado, por aclamação, o Manifesto do PT, reunindo 1200 pessoas. Comissões regionais de 17 estados brasileiros iniciavam a organização do novo partido pelo país.

Os anos 80 iniciam com a criação e legalização do PT e encerram-se com a votação expressiva de Lula na disputa para a presidência da República. Lula perdeu para Fernando Collor com a diferença de 6% dos votos válidos no segundo turno das eleições. Durante a década, o PT realizou seis encontros nacionais e participou de todas as eleições, ampliou seus quadros nas prefeituras e no Congresso. O partido teve participação decisiva na campanha das Diretas Já!

Nos anos 90, o PT consolida-se como principal força política de oposição. Articula CPI para apurar denúncias de corrupção contra o governo Collor, que ameaçado de Impeachment, renuncia a presidência. O partido mantém sua trajetória de crescimento nas prefeituras e no Congresso, e elege seus primeiros governadores. Realiza durante a década, outros cinco encontros nacionais e dois congressos nacionais. Lula promove as caravanas da cidadania para revelar o verdadeiro retrato do país, e se candidata à presidência duas vezes, mas não se elege.

Em 2000, o PT tem crescimento espetacular nas eleições majoritárias e proporcionais. Conquistou 187 prefeituras, 131 vice-prefeituras e elegeu 2.485 vereadores. Em 2001, o Diretório Nacional aprova novo Estatuto que estabelece eleições diretas para as direções partidárias.

A partir daí, o PT entra em uma nova era histórica. Passados 13 anos da primeira campanha do Partido à presidência, Lula é eleito presidente da República com número recorde de votos absolutos. No primeiro turno, recebeu 39.443.765 votos, o que equivale a 46,4% dos votos válidos.

No segundo turno foram 52.79 milhões de votos, recebendo assim a maior votação obtida por um presidente da República no Brasil e a 2ª atribuída a um candidato em todo o mundo. Nessas eleições, o PT se torna o maior partido do País, elegendo a maior bancada federal com 91 deputados e duplicando a presença no Senado, passando de 7 para 14 senadores. Também aumenta de 92 para 147 o número de deputados estaduais.

 

PT no Espírito Santo

No Espírito Santo, a formação do partido começou com reuniões no decorrer do ano de 1979. Uma delas, de cunho informal, aconteceu no Colégio Americano e outra, realizada no Colégio Maria Ortiz, contou com a participação especial de um representante do Sindicato Nacional dos Petroleiros.

O estado foi um dos primeiros a constituir o partido no país. Durante o lançamento do manifesto e a formação da comissão provisória para a criação do PT em nível nacional, o Espírito Santo esteve junto com São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco, ao lado de mais outros estados.

A primeira reunião para constituir a Comissão Provisória aconteceu no dia 28 de janeiro de 1980, na Ilha de Santa Maria. No prazo de seis meses, os diretores da comissão deveriam percorrer o território capixaba para construir o partido. Era necessário criar comissões provisórias em, no mínimo, 14 municípios. A peregrinação para formar a base partidária enfrentou dificuldades financeiras e falta de estrutura para chegar às localidades. Mas, os ideais se mantiveram firmes.

Os militantes conseguiram formar comissões em 18 municípios, por toda a Grande Vitória, e ainda no interior, em São Mateus, Barra de São Francisco, Colatina, Linhares, Cachoeiro de Itapemirim, Ecoporanga, Muniz Freire, Castelo, Guarapari, entre outros.

A sintonia nas idéias e objetivos levou várias vertentes a formar o partido. Eram médicos, jornalistas, professores, estudantes, funcionários públicos, bancários, operários da construção civil, metalúrgicos, ferroviários e lideranças da Igreja Católica, ligadas às Comunidades Eclesiais de Base (Ceb’s).

Todo espaço onde se constituía uma nova oposição sindical lá estava o Partido dos Trabalhadores. O PT também encontrou força no movimento popular, principalmente, na luta pelo transporte coletivo, contra a carestia, em defesa de saneamento básico para todos, entre outras lutas.

Em 1982, o PT-ES inicia nas disputas eleitorais para o governo do Estado e não parou mais. Em 1986 conquistou, pela primeira vez, mandatos de deputados estaduais, alcançando três vagas. Em 1987, o partido teve sua primeira experiência em uma administração municipal com mandato tampão no município de Vila Velha. Em 1988, mais novas experiências: a eleição de um deputado federal constituinte, do primeiro prefeito do PT na administração da capital Vitória e de vereadores pelos municípios do Estado. Em 1994, o PT-ES chegou ao Governo do Estado.

 O PT no Espírito Santo está constituído em todos os municípios capixabas e vive um momento especial desde as eleições de 2002, com a conquista da eleição de quatro deputados estaduais e uma deputada federal.

Nas eleições municipais de 2004, o partido saiu ainda mais fortalecido. Elegeu cinco prefeitos – Vitória, Cariacica, Castelo, Iconha e Ecoporanga -, nove vice-prefeitos e 34 vereadores.

Além de vitorioso na mobilização popular e na organização dos trabalhadores, o PT comprovou sua competência no exercício de mandatos parlamentares e executivos. O partido continua ligado a sua base, protagonizando diferentes ações sociais na busca de um país verdadeiramente para todos.

O sucesso das administrações municipais do PT e dos representantes do Legislativo Municipal firmou o partido rumo a outras conquistas. Nas eleições de 2008, o PT-ES foi o Partido que mais alcançou vitórias. Foram reeleitos três prefeitos (Vitória, Cariacica e Castelo) e eleitos outros três novos (Cachoeiro de Itapemirim, Colatina e Mantenópolis).

O PT conquistou, assim, as maiores cidades capixabas. Também foram eleitos seis vice-prefeitos do partido (Afonso Claudio, Muqui, Piuma, Rio Bananal, São Domingos do Norte e São José do Calçado) e o número de vereadores do Partido cresceu mais de 60% com relação às eleições passadas. O PT-ES alcançou 53 representantes nas Câmaras de 36 municípios.

Nas eleições de 2010, o PT-ES saiu novamente vitorioso, elegendo quatro (4) deputados estaduais; uma deputada federal que foi convidada pela presidente Dilma a ocupar a secretaria nacional de Mulheres; e o vice-governador, além de alcançar uma vaga no Senado.

Para 2012,o desafio era manter as administrações e conquistar novas prefeituras, além de ampliar o número de vereadores.

O PT no Espírito Santo comemorou o resultado das eleições municipais, pois o partido manteve o número de prefeituras que administra, com a reeleição de Carlos Casteglione em Cachoeiro de Itapemirim e de Leonardo Deptulski em Colatina, e as eleições de Ademar Schneider em Itarana, Luizmar Mielke (Maca) em Vila Valério, Romero Gobbo em João Neiva e Pedro Costa em Ecoporanga, sendo que este último está retornando para mais um mandato.

O PT-ES conseguiu também eleger nove vice-prefeitos nos municípios de Serra, Afonso Claudio, Guarapari, Laranja da Terra, Nova Venécia, Marataízes, Pedro Canário, Pinheiros e Santa Teresa e ampliar em 63% o número de vereadores que possuía em julho deste ano, elegendo 75 vereadores/as em 49 municípios.

Novos desafios foram lançados nas eleições de 2014. Em nível nacional e prioridade partidária era a reeleição de Dilma Rousseff para presidenta. No Espírito Santo, após 20 anos, o PT-ES lançou candidato a governador, com o companheiro Roberto Carlos. O ex-prefeito da capital também participou das eleições como candidato ao Senado. 

Como resultado das eleições de 2014, em embate duro entre a esquerda e a direita brasileira, a presidenta Dilma Rousseff foi reeleita ganhando do candidato Aécio Neves(PSDB). No Espírito Santo, Dilma recebeu 911,906 votos (46,15%). Em nível estadual, o PT-ES elegeu dois deputados federais: Givaldo Vieira e Helder Salomão; e três deputados estaduais: José Carlos Nunes, Padre Honório e Rodrigo Coelho.

O ano de 2015 nasce, portanto, com diversos desafios. Após uma eleição acirrada, o PT realizará em junho de 2015 a segunda etapa do 5º Congresso Nacional, onde discutirá a conjuntura econômica mundial e a atualidade do socialismo petista; as mudanças e perspectivas da esquerda no Brasil e a atualização da concepção partidária. Entre suas principais batalhas do ano está a aprovação de uma reforma política, que tem como umas das fundamentais mudanças o fim do financiamento empresarial de campanhas eleitorais.


Presidentes do PT-ES

1981 – Pedro Correia Reis (Comissão Provisória)

1984 – Perly Cipriano (1º presidente eleito)

1986 – Perly Cipriano

1987 – Perly Cipriano

1992 – Claudio Vereza

1993 – Vitor Buaiz

1994 – Silvio Manoel dos Santos (provisório)

1995 – Silvio Manoel dos Santos

1997 – Iriny Lopes

1999 – Iriny Lopes

2001 - João Coser

2004 (março) a 2006 (abril)– José Roberto Corrêa do Nascimento (Dudé)

2006 – Claudio Vereza

2007 –  Carlos Roberto Casteglione Dias

2009 – Givaldo Vieira

2012 -  José Roberto Correa do Nascimento (Dudé)

2013 -  João Coser

2015 -  Genivaldo José Lievore



 

Home Voltar Versão para Impressão Divulgar

  PT ESPÍRITO SANTO: Rua Graciano Neves,386 - Centro - Vitória/ES CEP: 29015-330 - Tel: (27) 3223-3455
  Copyright © 2009