Busca por palavras chave:
 
  quarta-feira, 16 de agosto de 2017  
Home
Eleitos PT-ES - Eleições 2016
PED 2017
Vídeos PT
História
PT Estadual
Notícias
Artigos
Secretarias
Setoriais
Documentos
Galeria de Fotos
Diretórios municipais
Links importantes




 Conheça as soluções do PT para uma aposentadoria mais segura

Lula relembrou, durante a inauguração da transposição do rio São Francisco neste domingo (19), como seu governo resolveu o déficit da aposentadoria: “esse governo que está aí não tem noção do que representa a aposentadoria rural para uma família. Se eles quiserem consertar aPrevidência, que dêem emprego e aumento de salário para o povo que eles fazem o país voltar a crescer. Se eles não sabem fazer, que aceitem um conselho de quem sabe”.

O ex-presidente sabe do que está falando. O Partido dos Trabalhadores já mostrou que tem a solução para a Previdência Social, sem colocar em risco a aposentadoria dos brasileiros. Ao contrário da proposta do governo golpista, a sugestão do PT passa por aumentar o direito dos trabalhadores, e não retirá-los, como Michel Temer(PMDB) deseja fazer com sua proposta para a aposentadoria.

Para se contrapor ao desmonte pretendido pelo governo golpista, o PT preparou um folheto explicando quais serão as perdas para o trabalhador com a reforma em curso e qual é a alternativa que o partido propõe para garantir o direito da aposentadoria.

Nos governos dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e da presidenta eleita Dilma Rousseff, o déficit da Previdência foi solucionado com a inclusão de 22 milhões de trabalhadores no mercado de trabalho. Com o aumento da formalização, de 2008 para 2014, houve aumento de 54,61% nas receitas da seguridade social. Com isso, a partir de 2009, a Previdência urbana começa a apresentar números superavitários.

Outra estratégia utilizada por Lula e Dilma é fazer a economia girar com mais investimentos. Desde que assumiu, Temer só corta investimentos, o que resultou em uma queda de 3,6% no Produto Interno Bruto (PIB) de 2016. Quando estava no governo, o PT aumentou investimentos com programas como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Com a economia fortalecida e mais empregos, a arrecadação também cresceu, melhorando os números da Previdência.

A partir de 2007, há um crescimento constante do investimento público, segundo dados da economista Esther Dweck. Em 2014, por exemplo, foram investidos 72 bilhões. Em 2010, quando a taxa de desemprego foi reduzida em dois pontos percentuais (de 7,30% para 5,30% ao final do ano), o investimento cresceu 43%, incluindo o dinheiro investindo no programa Minha Casa, Minha Vida.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O PT quer recuperar os investimentos, para colocar a economia em um círculo virtuoso novamente.

A valorização do salário mínimo também contribuiu para essa melhoria. Foi no governo Lula que a lei atual de reajuste foi implementada, que garante uma elevação dos ganhos acima da inflação (o cálculo utiliza a inflação do ano anterior e o crescimento de dois anos antes para definir o reajuste). Quando Lula chegou à Presidência, o salário mínimo era de apenas R$ 200. Em 2016, esse valor havia sido reajustado para R$ 880.

Este ano, sob o governo golpista, pela primeira vez em 15 anos, o salário mínimo não teve ganho real. Além disso, a PEC 55, aprovada no ano passado e que instituiu o teto dos gastos, acaba com a política de valorização do salário mínimo.

Estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra que se estivesse em vigor há 20 anos, o salário mínimo estaria em cerca de R$ 425, menos da metade do atual, que é de R$ 937.

Além disso, antes de cortar o direito dos trabalhadores, o governo deveria cobrar os sonegadores. Uma das propostas do PT é resgatar esse dinheiro junto às empresas, que pode somar R$ 426 bilhões em dívidas.

Outra estratégia é aumentar a formalização das micro e pequenas empresas, que são as que mais empregam no país. Formalizar essas empresas é mais uma forma de investir e fazer a roda da economia girar.

Durante os governos de Lula e Dilma, esses setores foram beneficiados com leis que facilitaram a formalização. Em 2006, Lula sancionou a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, que reduziu a carga tributária, facilitou o acesso ao financiamento e criou mecanismos de apoio ao pequeno negócio. Em 2008, Lula também aprovou a a Lei do Microemprendedor Individual, e o Supersimples, que Dilma extendeu para 140 categorias em 2014.

Da Redação da Agência PT de Notícias

Home Voltar Versão para Impressão Divulgar

  PT ESPÍRITO SANTO: Rua Graciano Neves,386 - Centro - Vitória/ES CEP: 29015-330 - Tel: (27) 3223-3455
  Copyright © 2009